A Sensitiva

asensitivaA Sensitiva é um daqueles romances despretensiosos que você lê pra passar um tempo e que, certamente, vale suas horas de descanso.

Pra começar, a história é ambientada na Inglaterra do século XVIII. Eu simplesmente AMO histórias ambientadas na Inglaterra do século XVIII por um motivo muito simples: os casamentos são arranjados.

Minha teoria é que, se você tem permissão e aprovação da sociedade pra dizer, sem vergonha e sem medo, que está se casando com uma pessoa só por causa do dinheiro ou de um título, isso significa que você vive em uma sociedade em que qualquer coisa pode ser dita em voz alta, o que, normalmente, rende diálogos deliciosos entre os personagens da trama.

Teoria mais do que comprovada em livros como Orgulho e Preconceito e Tom Jones. É claro que não estou comparando A Sensitiva com Orgulho e Preconceito. Só estou defendendo minha teoria sobre ambientação. No futuro, se tudo der certo, vou fazer um post bem detalhado sobre isso.

A Sensitiva conta a história de amor entre Penélope Wherlocke e Lorde Ashton. Ela, sem dinheiro, responsável por várias crianças abandonadas por seus tios, e que, apesar de ser filha de um marquês, vive isolada no porão da casa onde seus meio-irmãos moram e, ainda pode falar com os mortos; ele, dono de um título importante cuja família está falida devido às indiscrições do pai e que precisa se casar com um mulher rica.

A história é começa com o rapto de Penélope. Logo nas primeiras páginas o leitor fica sabendo que o rapto de Penélope foi encomendado. Seus raptores a deixaram em um bordel, onde ela foi drogada e amarrada a uma cama. Foi assim que Penélope encontrou lorde Ashton pela primeira vez.

Penélope foi resgatada por seus meninos antes de ser “deflorada” por Ashton que, quando descobre que ela está lá contra a vontade, faz de tudo para ajuda-la a sair do problema. Depois desse acontecimento, lorde Ashton mergulha no mundo diferente da família de Penélope, os Wherlocke, onde cada um tem um dom especial e sobrenatural: eles podem prever o futuro, curar doenças, aliviar a dor, e até mover objetos com o poder da mente.

A Sensitiva, conseguiu juntar a família Wherlocke e seus dons; o mistério que ronda o bordel para onde Penélope foi enviada; o fato de Penélope estar sendo roubada por seus meio-irmãos; o cavalheirismo de Ashton e de seus melhores amigos que resolvem deixar de lado a racionalidade e embarcar na aventura; o julgamento da alta sociedade inglesa do século XVIII; e o amor ardente entre Ashton e Penélope e o leitor tem um romance delicioso pra se ler.

A história tem muita ação e suspense, além de diálogos deliciosos. Destaque especial – em tempos de 50 Tons de Cinza – para as cenas picantes protagonizadas por Penélope e Ashton.