BFF

Ontem foi dia do amigo. Um pouco atrasada mas não tarde demais, fiz uma seleção do que considero os melhores amigos EVER em alguns recentes sucessos da literatura. Com amigos assim os inimigos são totalmente dispensáveis.


4o. Lugar: Harry, Rony e Hermione (Harry Potter, J.K. Rowling, Editora Rocco)
Eles se conheceram crianças, na escola, tudo normal e bonitinho. Seria muito normal se tornarem amigos para sempre, e até manterem contato durante a velhice, nada incomum exceto pelo fato de que um deles  é constantemente perseguido por uma força do mal que não deve nunca ser nomeada e com isso muita gente ao seu redor acaba morrendo, ou desaparecendo ou sendo perseguido. Sim, eu sei, o pobre Harry é apenas uma criança e não tem culpa dos infortúnios de sua vida mas, ele cresce durante a história, e quanto mais ele cresce, mais os problemas aumentam. E, pra piorar, nos filmes só dá o Harry, enquanto os amigos que o apoiam toda a vida são reduzidos a simples coadjuvantes. Haja auto-estima. Só sendo muito amigo.

3o. Lugar: Alice Cullen e Bela (Crepúsculo, Stephenie Meyer, Intrinseca)
Uma é uma vampira vegetariana feita de pedra e fria como o gelo. Outra é uma humana adolescente, frágil e com um cheiro irresistível de comida de vampiro. Tem como dar certo??
Para Meyer tem. Elas convivem, passeiam, fofocam e penteiam o cabelo uma da outra enquanto trocam segredos. É o equivalente a dizer que uma cobra criou um sapo de estimação.

2o. Lugar: Roland Deschain, Jake Chambers, Eddie Dean e Odetta Holmes (A Torre Negra, Stephen King, Editora Objetiva)
Roland sequestrou os outros três de seus mundos e os carregou para uma realidade alternativa onde eles não tinham comida nem água à disposição e estavam sujeitos a perigos diários como lagostas assassinas, robôs psicóticos, sequestradores de crianças, assassinos, bruxas e demônios. Ainda  assim todos os quatro viveram  juntos e felizes, e ficaram lado a lado até o derradeiro fim quando Roland finalmente chegou a Torre Negra.
A Sindrome de Estocolmo realmente não tem limite nessa história.

1o. Lugar: Melanie Stryder e Peregrina  (A Hospedeira, Stephenie Meyer, Intrinseca)
E em primeiríssimo lugar, com honras, tive que trazer mais um livro da Stephenie Meyer. Duas mulheres que dividem não só as roupas e o corte de cabelo. Elas dividem o corpo, os pensamentos, o irmão, e até os homens. Hein? Vivem um quarteto amoroso onde, incrivelmente, ninguém trai ninguém e todo mundo ama todo mundo sem ninguém ficar magoado.
Elas são mais do que civilizadas. Na verdade, qualquer uma delas poderia ser canonizada tamanha abnegação em nome da amizade.